terça-feira, 25 de setembro de 2007

COMO TUDO COMEÇOU...

E para começar a abordar sobre a história do futebol, nada como falar de como e onde tudo começou. Mas não é tarefa fácil. Vejamos...

Os pesquisadores não entraram em consenso quanto ao lugar onde o futebol surgiu, se na Inglaterra ou na França. Em terras francesas, teria chegado através dos romanos, que eram governados pelo imperador Júlio César nos anos 58 a 51 A.C. . Porém, o mais antigo documento relacionado com o tema é o livro DESCRIPTIO NOBILISSIMAE CIVITATIS LONDINAE, do inglês Williaim Fitzstephen, escrito em 1175. No livro se comenta um jogo disputado durante a Shrovetide, tipo uma terça-feira gorda, quando os habitantes de vários vilarejos e cidades inglesas passavam a chutar uma bola de couro pelas ruas, em comemoração à expulsão dos dinamarqueses no período de domínio anglo-saxônico. A bola, no caso, simbolizava a cabeça de um oficial do exército invasor e, ainda conforme o livro de Fitzstephen, foi justamente com esta cabeça que o jogo teve sua origem.

Durante muito tempo, por ocasião da Shrovetide, o futebol teve para o futebol inglês um sentido essencialmente cívico, sendo disputado apenas nos festejos anuais. Com o passar dos anos, o esporte se tornou popular entre os moradores das cidades de Kingston e Chester. A popularidade do esporte cresceu tanto que, em meados de 1314, o Rei Eduardo II proibiu que se praticasse o tal jogo na Inglaterra. Temia o governante que, desviando as atenções para o futebol, os jovens se descuidassem do arco e flecha, esporte obviamente mais útil para uma nação em guerra. Outros reis também se mostraram contrários ao jogo da bola. Entre eles, Ricardo II, Henrique IV, Henrique VIII e Elizabeth I.

Os italianos também reclamam para si a criação do futebol, ou Calcio para eles. Em 1529, quando Florença era sitiada pelas guarnições do Príncipe de Orange, duas facções políticas resolveram decidir uma velha rixa num jogo com bola na Piazza Santa Croce. As duas equipes, cada uma com vinte e sete jogadores, estavam cada qual com seus uniformes. Uma de roupa branca e outra, verde. E foi um jogo altamente ríspido. Os rivais se enfrentaram violentamente durante algumas horas. A partida entrou para a história e faz parte da tradição popular florentina, sendo reproduzida todos os anos, em 24 de junho, dia de São João, padroeiro da cidade de Florença. Os italianos alegam a "paternidade" do jogo porque o confronto realizado pelas facções rivais tinha regras definidas e que são observadas até hoje em suas realizações anuais. Observemos: 27 jogadores que eram divididos em posições distintas; a bola podia ser jogada tanto com os pés como com as mãos e tinha que ser levada até a meta adversária, uma espécie de barraca armada ao fundo de cada campo. O ponto praticamente decidia o jogo. Apesar de sua origem ter sido marcada pela violência dos dois times, o Calcio representa um estágio mais avançado do futebol em relação ao que se praticava, na mesma época, nas ruas da Inglaterra. Os jogadores tinham posições definidas e as regras eram claras. O empurrão, o esbarrão e o pontapé significavam infrações graves que eram anotadas por uma dezena de juizes. Até hoje os italianos se recusam a chamar futebol de futebol, propriamente dito. Para eles, futebol é e sempre será Calcio.

Durante muitos anos, o jogo de rubgy e o de futebol seguiam o mesmo caminho. Mas emperravam sempre num problema: a falta de uma uniformização de regras para os jogos. Os estudantes universitários ingleses escreveram artigos em jornais de Londres que eram apelos clamorosos para que o futebol definisse suas regras. No dia 26 de outubro de 1863 realizou-se uma reunião com representantes de onze clubes e escolas para debater o problema. Se não se chegou a um acordo com relação as regras, ao menos se descobriu que rubgy e futebol teriam que seguir separados. À medida que ia deixando de ser um jogo violento, o futebol passou a apaixonar seus praticantes. A grande transformação passou a se fazer notar no início do século XVIII, quando jovens de famílias ricas, integrantes de escolas públicas inglesas, viram-se obrigados a trocar seus passatempos - o tiro, a esgrima, a caça e a equitação foram trocados pelos jogos em grupos. Logo, as primeiras tentativas de se estabelecer um regulamento para o futebol que deveria prevalecer sobre todas as outras. Para começar, não seria permitido colocar a mão na bola - óbvio, já que Football (nome em inglês para o futebol) significa "bola-pé". Desse modo, o futebol chega ao século XIX mais organizado, dignificado pela adesão dos universitários, abençoado pela aceitação dos reis, admirado pelos cronistas da época e, engrandecido pela paixão popular. Os seguidores do futebol estabeleceram suas leis e fundaram a The Football Association, nome que é mantido até hoje pela Liga Inglesa, e deram molde definitivo a um jogo que mais tarde se transformaria numa paixão mundial.

O futebol foi registrado oficialmente no dia 01 de dezembro de 1863, a partir das nove regras estabelecidas pela universidade de Cambridge e submetidas aos representantes dos clubes e universidades numa reunião realizada em outubro de 1863. Mas a aprovação, apenas, não era o bastante. Havia a necessidade de se distribuir cartilhas informativas nos clubes, nas escolas, nas livrarias e bancas de jornal, através de livros de regras. E essas regras foram sendo sucessivamente modificadas, e novos manuais passaram a ocupar o lugar das primitivas cartilhas. Em 1868 instituiu-se a figura do juiz. Em 1878, um ano depois se adotar o travessão de madeira (do mesmo comprimento das portas dos salões da universidade de Cambridge), surgiu o apito, já que até então era na força do grito que o juiz anunciava suas decisões em campo. Em 1882, Inglaterra, Escócia, Pais de Gales e Irlanda fundaram a International Board, que até hoje regula as leis do jogo no mundo inteiro, já como órgão assessor da FIFA. Houve uma revisão total das regras em 1891, quando apareceram as redes nas balizas, para que não houvesse dúvidas quando da maracação do gol, e foi oficializado o pênalti - a falta dentro da grande área. Em 1896, cresce a autoridade do árbitro, que deixa de ser um simples tira-teima, e passa a se guiar pelo que mandam as regras.

Nos últimos anos do século fixam-se o numero de jogadores em onze, as dimensões do campo, o tamanho da bola e a duração da partida. Os limites das áreas datam de 1901, as leis do impedimento começaram a partir de 1907, definindo-se de vez em 1924. Uma nova revisão foi feita em todo o texto em 1938. Uma vez uniformizado, codificado e organizado, o futebol não tardaria a se transformar no mais popular e universal de todos os esportes. A popularização se fez rápida e regularmente, com o apoio dos jornais, cartazes exibidos nas ruas, folhetos distribuídos em comércios, bares e teatros.

E foi assim que tudo começou...

2 comentários:

Sander - Edimburgo/ESC disse...

Blz, cara! Dei valor!!! Também gosto muito das coisa da bola! Boa sorte, amigo!

André José Adler disse...

Excelente!! Ótima pesquisa. Leitura super agradável :D []s