quinta-feira, 22 de novembro de 2007

O VOVÔ DOS ESTÁDIOS




Bramall Lane: o estádio mais antigo do mundo, exemplo de conservação do patrimônio.




Depois que a FIFA bateu o martelo que a Copa do Mundo de 2014 será realizada no Brasil a CBF começou a correr atrás do prejuízo, junto com a iniciativa privada e o governo, para adequar a infra-estrutura do país ao que recomenda a entidade maior do futebol mundial. Condições ideais de transporte, acomodações, telecomunicações, segurança e, principalmente, dos palcos para as partidas de futebol são algumas das exigências para a realização do maior evento futebolístico do planeta.

Os estádios de futebol do país estão, em sua imensa maioria, em péssimas condições. Precariedade na estrutura física e elétrica, má conservação, falta de limpeza e segurança são as principais causas dos inúmeros problemas. Para se ter uma idéia, entre os maiores e mais populares estádios do Brasil, a maioria precisa ser demolido para a construção de outro novinho em folha em seu lugar.

Muitos apontam as idades avançadas e o projetos ultrapassados desses estádios como os principais motivo para a delicada situação. Porém, o que falta mesmo é uma manutenção preventiva, rotineira e de qualidade, aliados à uma campanha de educação das pessoas que vão até eles. Grandes estádios da Inglaterra, como exemplo, têm mais de 100 anos e contam com uma estrutura impecável até os dias de hoje. Lá está o mais velho estádio do mundo ainda em uso: o Bramall Lane, com seus 152 anos de idade, mas em perfeitas condições para a prática do futebol. Vamos falar um pouco mais sobre o vovô dos estádios mundiais.

Antes, um lembrete: o Sheffield FC, que construiu o estádio que será comentado adiante, e primeiro clube de futebol fundado na história, hoje disputa apenas divisões amadoras. O Notts County é considerado o time profissional mais antigo do mundo, conforme foi publicado neste blog em setembro.

O Bramall Lane foi inaugurado na data de 30 de abril de 1885, na cidade de Sheffield, há longínquos 152 anos, inicialmente para a prática do críquete, outro tradicional esporte bretão. Mas 7 anos depois passou a ser utilizado para o futebol, quando Sheffield FC e Sheffield Wednesday, times da cidade, passaram a mandar seus jogos por lá. Em 1889, o Sheffield United, outro clube local, passou a administrar e realizar suas partidas no estádio. O projeto inicial (foto 1) deu condições para abrigar quase 70 mil pessoas (em pé e sentadas).

Apesar de seus mais de 150 anos de existência, a primeira partida de futebol apenas aconteceu em Bramall Lane em 29 de dezembro de 1862 entre Sheffield FC e Hallam FC. A partida ocorreu em prol de um fundo de auxílio a pessoas necessitadas e terminou empatada em 0 a 0. Em março de 1867 ocorria o primeiro torneio de clubes: a Youdan Cup, vencida pelo Hallam FC. Lá também ocorreu a primeira partida entre duas seleções fora de Londres e Glasgow: em 10 de março de 1883, se enfrentaram Inglaterra e Escócia. Por fim, foi palco das semifinais da FA Cup entre 1889 e 1938.

Em 1994 o estádio dos Blades (apelido do Sheffield United) foi completamente reformado (fotos 2 e 3) para receber aproximadamente 32.600 espectadores confortavelmente sentados e com toda a estrutura adequada que um palco futebolístico pode oferecer aos torcedores, mesmo para um lugar centenário. Além disso, conta com todo o apoio necessário ao público dispondo de banheiros limpos, completos serviços de bares e lanchonetes e está localizado bem próximo a estações de trem e ônibus.

Talvez os cartolas e governantes brasileiros pudessem aprender com os ingleses a maneira de conservar e reformar seus estádios. Não só demolindo ou reformando, mas construindo uma consciência em cada pessoa de que o estádio de futebol é um patrimônio de lazer e bem-estar que deve e merece ser preservado.


Foto 1: Chrishobbs.com
Foto 2: Eurostadiums.com
Foto 3: Arquivo FA

2 comentários:

Semíramis disse...

Muito interessante essa matéria. Acho que no Brasil falta consciência das pessoas quanto à importância de preservar nossos patrimônios. Trata-se de um problema cultural que tem solução, só falta iniciativa e empenho de nosso governo.
Parabéns pela matéria!!

Semíramis disse...

Muito interessante essa matéria. Acho que no Brasil falta consciência das pessoas quanto à importância de preservar nossos patrimônios. Trata-se de um problema cultural que tem solução, só falta iniciativa e empenho de nosso governo.
Parabéns pela matéria!!