terça-feira, 19 de agosto de 2008

O CENTENÁRIO DE UM RECORDE OLÍMPICO

Sophus Nielsen: cem anos de seu recorde olímpico




Mais uma vez peço desculpas pela ausência, mas alguns contratempos profissionais me tomaram bastante tempo. Estamos de volta agora para contarmos mais algumas histórias do futebol.

Em 22 de outubro deste ano um recorde histórico do futebol completará 100 anos. À época nenhum outro futebolista havia alçado tal feito dentro das Olimpíadas, que foi repetido 4 anos depois em Estocolmo, na Suécia, e até hoje não foi alcançado. E muito provavelmente tão cedo não será sequer igualado, pelo menos dentro de uma disputa aceitável entre seleções profissionais de algum nível dentro do evento. Em se tratando de todas as competições, a escrita foi superada apenas 89 anos mais tarde pelo australiano Archie Thompson, que marcou 13 gols em uma partida pelas Eliminatórias da Oceania para a Copa do Mundo de 2002 entre Austrália e Samoa Americana.

Olimpíada de Londres em 1908. O torneio de futebol olímpico até então não era tratado com muita atenção e não era disputado por seleções nacionais como nos moldes atuais. Desde sua primeira aparição como modalidade olímpica, em 1900, apenas clubes amadores disputavam medalhas. Somente na edição inglesa dos Jogos é que passou-se a organizar uma competição entre os selecionados. Apenas seis equipes participaram da disputa: Grã-Bretanha, Dinamarca, a estranha divisão entre França "A" e "B", Holanda e Suécia. As equipes da Bohemia (hoje região da República Tcheca) e da Hungria estavam inscritas, mas desistiram antes do início do certame. Os britânicos, como era de se esperar, eram os favoritos à medalha de ouro.

Os inventores do futebol e os dinamarqueses vinham acabando com seus adversários facilmente no torneio com placares do tipo 9 a 0 dos escandinavos sobre a França "B" e Grã-Bretanha 12 a 1 nos suecos. Mas um jogo em especial e também com placar elástico entrou para a história do esporte: Dinamarca 17 a 1 na França "A". Em tempos em que Copa do Mundo ainda não era realizada, muitos jogadores de qualidade pelo mundo a fora passavam despercebidos caso não registrassem algum feito notável, como foi no caso dessa partida.

Dos 17 gols marcados pelos dinamarqueses, nada mais, nada menos que dez deles foram feitos pelo ex-atacante Sophus Nielsen. A impressionante marca foi presenciada por um pequeno público de 1000 pessoas no estádio White City, na capital inglesa. Nielsen, aos 3, 4, 6 e 39 minutos do 1º tempo; e aos 2, 3, 7, 19, 21 e 31 do 2º tempo, marcou definitivamente sua trajetória no futebol olímpico após a partida e acabou como o primeiro artilheiro da história da competição disputada entre seleções com 11 gols. O placar qualificou a sua Dinamarca para a disputa do ouro com os britânicos, mas ficaram com a prata ao serem derrotados por 2 a 0. Seu recorde, entretanto, foi igualado pelo alemão Gottfried Fuchs nos Jogos Olímpicos de 1912 na vitória maiúscula de 16 a 0 dos germânicos sobre a Rússia. Fuchs detém o mais antigo recorde dentre todas as modalidades esportivas olímpicas da atualidade: 96 anos de duração.

Sophus Erhard Nielsen foi um habilidoso e rápido atacante que nasceu em Copenhague, capital da Dinamarca, em 15 de março de 1888 e deu seus primeiros passos nos gramados no Concordia ainda garoto. Aos 14 anos se transferiu para o Boldklubben Frem, clube no qual passou a maior parte de sua carreira e fez sua primeira partida oficial como jogador. Nos tempos de amadorismo no futebol dividia seu tempo entre a bola e a profissão de ferreiro junto com seu irmão Carl Nielsen. Em 1910 o ex-atacante e Carl resolveram tentar a sorte na Alemanha, quando Krølben (apelido de Sophus) foi convidado a vestir a camisa do alemão Holstein Kiel, onde passou apenas 1 temporada. Depois retornou ao Frem até encerrar a sua carreira como jogador em 1921 aos 33 anos.

Pela seleção dinamarquesa foram 16 gols em 20 jogos durante 11 anos (1908-1919) e duas medalhas de prata conquistadas nos Jogos de 1908 e 1912 (ambas contra a Grã-Bretanha). Após a aposentadoria como jogador, Sophus Nielsen ainda treinou o Holstebro BK em 1933 sem nenhuma conquista e foi treinador interino da seleção dinamarquesa em 2 jogos contra a Suécia (2 empates) em 1940.

O recordista olímpico faleceu em 6 de agosto de 1963, aos 75 anos, em Copenhague, sem nenhum título na carreira, mas deixou seu nome cravado para sempre na história do futebol - olímpico ou não.

Abaixo, dados e estatísticas de Sophus Krølben Nielsen.


* Nome: Sophus Erhard Nielsen

* Apelido: Krølben

* Posição: atacante

* Nascimento: 15 de março de 1888 em Copenhague/DIN

* Clubes como jogador (2): BK Frem (1902/10 e 1912/21) e Holstein Kiel (1911/12)

* Seleção dinamarquesa: 16 gols em 20 jogos (1908/19)

* Clubes/seleções como treinador (2): Holstebro BK (1933) e Dinamarca (1940)

* Conquistas: medalha de prata (Olimpíadas de 1908 e 1912) e artilheiro dos Jogos Olímpicos de 1908.




Foto: IFFHS Deutschland

Um comentário:

Warley Morbeck disse...

Parabéns pelo resgate de fatos históricos do nosso amado futebol.

Warley Morbeck
http://flamengoeternamente.blogspot.com/