terça-feira, 11 de novembro de 2008

ELE VOLTOU...


Stefano Tacconi: ele voltou... Para ficar?





Nas minhas costumeiras visitas aos sites esportivos do mundo essa semana deparei-me com uma notícia inusitada. Algo que chama a atenção por fugir completamente do padrão futebolístico. O fim de carreira de um jogador de futebol está sempre na faixa dos 35 aos 40 anos nos dias atuais. Pois um goleiro italiano quebrou o protocolo e, aos incríveis 51 anos de idade, voltou a jogar futebol profissionalmente.

Casos como esse são bem difíceis de acontecer, mas acontecem. Aqui mesmo no Brasil temos um exemplo folclórico, que é o caso de Pedro Ribeiro de Lima, atacante/capitão/dono do Perilima, que disputa a segunda divisão do Campeonato Paraibano com seus 57 anos de vida (e ai do treinador que barrá-lo). Já tivemos uma lenda do futebol que chegou a atuar profissionalmente com quase 60 anos de idade - Sir Stanley Matthews. O caso italiano deve-se ao ex-goleiro da Juventus de Turim Stefano Tacconi, que depois de 13 anos de aposentadoria voltou aos gramados para defender o modesto Arquata, clube amador da Seconda Categoria, a nona divisão do Campeonato Italiano. Após uma passagem sem sucesso pela política depois de pendurar as luvas, Tacconi foi convencido por seu amigo de longa data Marco Mongardini a retornar às balizas pelo time da região de Marche, na diminuta cidade de Arquata del Tronto, que possui pouco mais de 1400 habitantes.

Nascido em 13 de maio de 1957, na cidade de Perugia, localizada na região da Umbria, Stefano Tacconi iniciou cedo sua carreira de goleiro. Aos 15 anos ingressou nas categorias de base do extinto Fortis Spoleto e, aos 17, assinou seu primeiro contrato profissional com o mesmo Spoleto. Logo seu talento nato debaixo das traves chamou a atenção da poderosa Internazionale de Milão, quando em 1975 assinou com os nerazzurri. Porém, com poucas chances no time milanês, na temporada seguinte retornou ao Spoleto, local onde iniciou sua trajetória futebolística. Até 1980 Tacconi trocou de clube todos os anos, nos quais passou por Pro Patria, Livorno e Sambenedettese - mas nenhum deles pela Série A. Sua primeira oportunidade de mostrar seu trabalho na divisão principal do futebol da bota aconteceu na temporada 1980/81 com o Avellino. E foi com os Lobos que Tacconi novamente chamou a atenção de outro grande clube italiano: a Juventus. Depois de pela primeira vez em sua carreira passar mais de 1 ano em um único time (foram 3 com o Avellino) conseguia dar o salto de qualidade que iria transformá-lo em um dos grandes goleiros de seu país na década de 80.

Com a Vecchia Signora foram 9 temporadas, de 1983 a 1992, onde entrou em campo 254 vezes. Na Juve ainda conseguiu o feito de se tornar o único goleiro na história do futebol a conquistar todos os torneios internacionais de clubes possíveis - Recopa, Copa dos Campeões da Europa (atual Liga dos Campeões), Super Copa da Europa, Copa da UEFA e Mundial Interclubes. Sua árdua missão: substituir o mítico arqueiro Dino Zoff, que havia abandonado a carreira recentemente. A partir de então treinado pelo mesmo Zoff, Tacconi estreou nos bianconeri de forma brilhante na vitória de 7 a 0 sobre o Ascoli, quando ainda defendeu um pênalti. Além dos campeonatos internacionais com a Juventus, faturou ainda dois Scudettos e uma Copa da Itália. Foi o reserva do Walter Zenga na Copa do Mundo de 1990 com a Itália, jogando em casa, e chegou a atuar com a camisa da seleção em 7 oportunidades. No começo dos anos 90, porém, viu seu lugar na baliza do time de Turim ser, aos poucos, tomado por Angelo Peruzzi. Depois de 2 anos como substituto do então jovem goleiro Peruzzi, que chegou a declarar publicamente que Stefano Tacconi teria sido o pior companheiro de clube com quem ele trabalhou, deixou a equipe e assinou com o Genoa em 1992.

No novo time, Tacconi teve um melancólico fim de carreira. Depois de 3 temporadas com a equipe da região da Liguria foi rebaixado para a Série B e em 1995 decidiu por se retirar dos gramados. Após a aposentadoria resolveu ingressar na política, mas sem sucesso. Ainda participou de um Reality Show em uma TV italiana chamado "L'isola dei famosi" (A Ilha dos famosos - uma espécie de "Survivor"). No fim de agosto deste ano resolveu voltar a se aventurar dentro das 4 linhas e assinou contrato com o FC Arquata, que o fez tornar-se no jogador mais velho em atividade no futebol italiano da atualidade. Uma ótima oportunidade para quem não o viu atuando no passado.

Abaixo, dados e estatísticas do portiere que voltou, só não se sabe se para ficar.



* Nome: Stefano Tacconi

* Nascimento: 13 de maio de 1957 em Perugia/ITA

* Posição: goleiro

* Clubes (9): Spoleto (1974/75 e 1976/77), Internazionale (1975/76), Pro Patria (1977/78), Livorno (1978/79), Sambenedettese (1979/80), Avellino (1980/1983), Juventus (1983/92), Genoa (1992/95) e Arquata (2008/...)

* Títulos (8): Campeonato Italiano (1983/84 e 1985/86), Recopa (1983/84), Super Copa Européia (1984), Copa dos Campeões da Europa (1984/85), Mundial Interclubes (1985), Copa da Itália (1989/90) e Copa da UEFA (1989/90)

* Seleção Italiana: 7 jogos








Foto 1: Giro Vagando in Trentino

Foto 2: Asiloweb Altervista

Um comentário:

J. disse...

Desconhecia a trajetória de Stefano Tacconi. Parabéns pela pesquisa brother e aproveitando queria saber mais sobre o grande goleiro Walter Zenga, caso possível seria uma grande matéria para uma futura postagem. Abraços!!!