terça-feira, 18 de novembro de 2008

O CAMPEÃO COM SALDO NEGATIVO

Coritiba 1985: campeão brasileiro sem saldo





É sempre muito bom contar com a participação dos colegas internautas. E a imensa maioria deles sempre vêm com uma sugestão de publicação ou uma curiosidade interessantíssimas. No caso de hoje publico a participação da leitora Maryanne Wosz, de Recife/PE, através do e-mail futebolhistoria@st-davids.net.

A Maryanne diz em sua mensagem que acompanha o futebol há muito tempo, visto que seu pai sempre foi um amante do esporte e torcedor ferrenho do Náutico. Ela pergunta se houve em alguma edição do Campeonato Brasileiro um clube que tenha sido campeão com saldo de gols negativo, pois o que ela sempre vê são times campeões com um saldo muito grande.

Bem, Maryanne, pode até parecer óbvio que um clube vencedor deva necessariamente ter um saldo de gols positivo (e bastante, de preferência). Entretanto, como vivemos no Brasil, o país onde quase tudo de anormal acontece no futebol, esse fato já ocorreu sim uma vez em nossa história de Campeonatos Brasileiros (como você mencionou Campeonato Brasileiro estou apenas considerando os torneios realizados sob esse nome de 1971, a 1ª edição, até hoje). Foi em 1985, naquele inusitado certame que teve como campeão o paranaense Coritiba e vice o carioca Bangu.

Os paranaenses terminaram a competição com um saldo de 2 gols negativos, quando totalizaram 25 bolas na rede a favor e 27 contra. Mas o saldo de gols foi o menos esdrúxulo - o Coxa foi proclamado campeão com incríveis 17 pontos a menos que o vice-campeão Bangu (48 a 31) na soma geral do campeonato. Alie-se ainda a esse fato o saldo de 32 gols positivos do alvirrubro carioca e do Coritiba ter tido apenas a 9ª melhor pontuação dentre todos os concorrentes. Tudo isso fruto de uma fórmula ridícula de disputa que se arrastava entre os anos 70 e 80, muito para beneficiar a politicagem naquela época incluindo os clubes do coração de muitos deles no torneio, o que provocava inchaços com o número exagerado de participantes. Chegou-se ao cúmulo de termos 94 equipes disputando a primeira divisão em 1979.

O Campeonato Brasileiro de 1985 teve a participação de 44 times de todas as regiões do Brasil. Incluía até equipes com quase nenhuma tradição dentro do futebol brasileiro como Corumbaense/MS, Leônico/BA, Brasília/DF, entre outros. Tal inchaço se deveu à "fusão" da Taça de Ouro (1ª divisão) e da Taça de Prata (2ª divisão) em uma única competição. Os clubes foram divididos em 4 grupos de diferentes números de participantes - nas chaves A e B estavam os 20 times melhores colocados pelo ranking; e no C e no D, os 24 restantes. Os integrantes do grupo A enfrentavam o do B, e vice-versa, em turno e returno - o mesmo acontecendo entre os demais. Os classificados à próxima fase seriam os vencedores do turno e do returno e mais os dois melhores classificados na soma dos turnos para ambas as chaves.

A segunda fase reunia os 16 classificados em 4 grupos com 4 integrantes cada. Todos jogavam contra todos em suas respectivas chaves, também em turno e returno, e classificavam-se apenas os vencedores para as semifinais, onde os times disputavam uma vaga na final em jogos de ida e volta. Por fim, a finalíssima em jogo único na casa da equipe de melhor campanha (Bangu), que aconteceu no estádio do Maracanã com mais de 91 mil pessoas - a imensa maioria torcedores dos 4 grandes clubes do Rio de Janeiro que estavam apoiando o time do subúrbio carioca. Em uma disputa acirrada, Bangu e Coritiba empataram no tempo normal em 1 a 1. Como previa o regulamento, em caso de empate na decisão a disputa do título iria para as penalidades máximas. Com 6 a 5 nas cobranças de pênaltis, o Coritiba levou o troféu de campeão brasileiro para casa e, de brinde, alcançou dois feitos inéditos até então na história do campeonato: o título indo para o estado do Paraná e a terceira conquista do treinador Ênio Andrade.

Façam como a Maryanne (e quem disse que mulher não entende de futebol?) e muitos outros já fizeram: deixem comentários ou mandem um e-mail com sugestões, críticas, elogios e/ou curiosidades. Assim que for possível eles serão todos publicados.

Abaixo, dados e estatísticas do Campeonato Brasileiro de 1985.


CAMPEONATO BRASILEIRO DE 1985

* Clubes: 44

* Campeão: Coritiba/PR (31 PTS - 29J, 10V, 7E, 10D, 25GP, 27GC, SG: -2)

* Vice-campeão: Bangu/RJ (48 PTS - 31J, 20V, 8E, 3D, 55GP, 23GC, SG: 32)

* 3º lugar: Brasil/RS (36 PTS - 30J, 14V, 8E, 8D, 48GP, 33GC, SG: 15)

* 4º lugar: Atlético/MG (35 PTS - 28J, 13V, 9E, 6D, 37GP, 23GC, SG: 14)

* Artilheiro: Edmar (Guarani/SP) - 20 gols

* Gols (média): 1243 (2,4)

* Público (média): 6.010.125 (11.625)

* Partida final:

Bangu/RJ 1 X 1 Coritiba/PR (5 X 6 nos pênaltis)

Data: 31 de julho de 1985

Local: Maracanã/RJ

Árbitro: Romualdo Arppi Filho (SP)

Público: 91.257 pessoas

Gols no tempo normal: Índio (C - 25 min do 1ºT) e Lulinha (B - 35 min do 1ºT)

Pênaltis: Gilson Gênio, Pingo, Baby, Mário, Marinho e Ado - desperdiçou (Bangu) / Índio, Marco Aurélio, Édson, Lela, Vavá e Gomes (Coritiba)

Bangu: Gilmar; Márcio, Jair, Oliveira e Baby; Israel, Lulinha (Gílson) e Mário; Marinho, João Cláudio (Pingo) e Ado. Técnico: Moisés

Coritiba: Rafael; André, Gomes, Heraldo e Dida; Almir (Vavá), Marildo (Marco Aurélio) e Tóbi; Lela, Índio e Édson. Técnico: Ênio Andrade



** Legenda: PTS - pontos, J - jogos, V - vitórias, E - empates, D - derrotas, GP - gols pró, GC - gols contra, SG - saldo de gols





Foto: Site Bemparana

3 comentários:

J. disse...

Eu vi uma matéria no Extinto Canal 100 sobre esse campeonato. Ressalta também a importância da vitória de um clube "com menor expressão" sobressaindo os grandes clubes até então.

Anônimo disse...

Isso está até no Guinnes Book.
Fato inédito no mundo.

Butt disse...

Coritiba a vergonha do Paraná !!!

hauhauhauhauau