sábado, 18 de julho de 2009

O COLOSSO DE ÑUÑOA

Estádio Nacional do Chile: palco do bicampeonato mundial brasileiro





Voltando um pouco no tempo e relembrando ainda as minhas férias no início deste ano, quando estive na Argentina e no Chile, fiquei de falar sobre minha visita aos estádios Monumental de Nuñez, situado em Buenos Aires, Nacional e Monumental, estes último em Santiago do Chile. Nesta publicação vamos conhecer um pouco do maior estádio chileno e que foi palco do bicampeonato mundial da Seleção Brasileira de futebol.

O Estádio Nacional do Chile, ou originalmente Estádio Nacional Julio Martínez Prádanos em homenagem a um dos grandes jornalistas da história da crônica esportiva chilena, que faleceu em 2 de janeiro de 2008, situa-se na comuna (espécie de bairro) de Ñuñoa do setor sul-oriental da Grande Santiago e tem capacidade para 65127 espectadores. De onde eu estava hospedado, próximo ao Palácio de La Moneda - sede do governo do país -, foi muito fácil chegar até lá, pois bastou apenas tomar um único metrô e chegar ao local em menos de 20 minutos. Aliás a infraestrutura dos transportes chilenos nem de longe lembra os do Brasil, infelizmente, tamanha a sua eficiência e conservação.

Mas de volta ao assunto me deparei com um estádio muito bonito localizado em uma zona residencial de classe média aos pés da cordilheira dos Andes - se bem que quase tudo na cidade fica próximo aos montes -, com um grande espaço para estacionamento e até certo ponto bem cuidado em relação a limpeza e conservação do local. Diante da imponente construção existe uma placa comemorativa pela sua inauguração, que aconteceu na longínqua data de 03 de dezembro de 1938, e mais adiante os portões de entrada. Como citado alguns pequenos reparos na pintura poderiam ser feitos para torná-lo ainda mais bonito do que já é. Mas em termos de beleza e de estrutura pouco deve à sgrandes arenas futebolísticas da Europa.

Como curioso que sou quando o assunto é futebol fui atrás de algumas informações junto à administração do estádio sobre sua construção e inauguração. Vi documentos históricos que revelaram que as primeiras idéias para o soerguimento do "Colosso de Ñuñoa" se deu no ano de 1918, quando o então dono do terreno, José Domingo Cañas, doou o espaço para que fosse erguido o Campos Sports de Ñuñoa, precursor do atual Estádio Nacional. Sua partida inaugural se deu no dia seguinte à sua abertura oficial de portões ao público, em 04 de dezembro, e promoveu um amistoso entre o Colo-Colo, mais tradicional clube do Chile, e o brasileiro São Cristóvão, do Rio de Janeiro. A partida foi bastante movimentada e terminou em 6 a 3 para os donos da casa para delírio das 48 mil pessoas presentes (capacidade original). A partir de sua abertura o estádio Julio Martínez Prádanos passou, obviamente, a ser a principal casa desportiva do Chile. Lá sediaram-se grandes eventos esportivos como o Campeonato Sulamericano de futebol em 1946 e 1955, o sulamericano e iberoamericano de atletismo em 1946 e 1961, respectivamente, entre muitos outros. Também é casa de eventos musicais e religiosos. Mas seu principal acontecimento foi, sem dúvida, a Copa do Mundo de 1962, onde o Brasil tornou-se bicampeão mundial.

Com a definição da FIFA pela realização do Mundial em solo chileno o governo, sob a então presidência de Jorge Alessandri, o Nacional do Chile passou por uma grande reforma no início dos anos 60 a fim de atender os requisitos da entidade que comanda o futebol. Sua principal mundança foi a demolição do antigo velódromo para a construção de novo lance de arquibancadas, o que aumentou substancialmente sua capacidade - de 48 mil para 95 mil espectadores. Foi palco do Grupo B da Copa, que contava com o anfitrião Chile, Alemanha Ocidental, Itália e Suíça. Sediou ainda uma partida das quartas-de-final entre Tchecoslováquia e Hungria (vitória Tcheca por 1 a 0), uma da semifinal envolvendo os chilenos e o futuro campeão Brasil (4 a 2 para os brasileiros) e as decisões de 3º lugar (Chile 1 X 0 Iugoslávia) e do título (Brasil 3 X 1 Tchecoslováquia). Aliás, foi muito bacana entrar no estádio e voltar ao passado, para aquele dia 17 de junho de 1962, imaginando o então capitão brasileiro Mauro (foto 2) erguer a taça Jules Rimet no centro do gramado.

Na década de 70 o local serviu também como centro de detenção do regime militar instalado no país, que durou de 1973 a 1990. Segundo dados da Cruz Vermelha mais de 70 mil pessoas foram presas e torturadas a mando do governo ditatorial.

O Colo-Colo já foi mandante dos jogos realizados no Nacional até 1989, quando finalizou a construção de seu próprio campo - o Monumental (que veremos numa publicação futura). Na atualidade o espaço está arrendado à Universidad de Chile, outro tradicional time de Santiago e recebe também os jogos da seleção chilena. A lotação máxima foi reduzida para 65127 espectadores por motivo de segurança e de proporcionar maior conforto ao público. Sua administração cabe ao governo do país andino através do Instituto Nacional de Deportes de Chile, ou apenas "Chiledeportes".

Para 2009 está agendada uma grande reforma no estádio cuja reinauguração está prevista para março de 2010. Serão injetados pelo governo federal cerca de 20 bilhões de Pesos Chilenos (cerca de R$ 71,8 milhões) para a construção de um fosso, melhorias nas instalações de imprensa e de público, aquisição de um novo e moderno placar eletrônico, melhoria na sinalização e remodelagem da estrutura inspirada no Olympiastadion de Berlin. Ou seja, o que já é bonito pode ficar bem melhor no próximo ano.

Abaixo, dados e estatísticas do "Colosso de Ñuñoa", palco do bicampeonato mundial brasileiro.


ESTÁDIO NACIONAL JULIO MARTÍNEZ PRÁDANOS (NACIONAL DE CHILE)


* Fundação: 03 de dezembro de 1938

* Proprietário: Governo do Chile (atualmente arrendado ao Universidad de Chile)

* Arquiteto responsável: Karl Brunner

* Dimensões: 105 x 68m

* Capacidade: 65127 pessoas (originalmente 48 mil)

* Primeira partida: Colo-Colo 6 X 3 São Cristóvão/BRA em 04 de junho de 1938

* Maior público: 85262 pessoas (Universidad de Chile X Universidad Católica em 29 de dezembro de 1962)




Foto 1: Chiledeportes
Foto 2: UOL Esportes
Foto 3: arquivo pessoal


Um comentário:

Row51 disse...

Estou montando um blog, como o seu, você pode ler e avaliar ?

Obrigado.

http://row51.blogspot.com