quinta-feira, 3 de setembro de 2009

UM POUCO DA HISTÓRIA DA "TERCEIRONA"

Série C: em busca da elite!





Mais uma Série C está chegando ao seu final e aqui no blog vamos comentar um pouco da trajetória deste torneio em nível nacional, mas que é muito pouco valorizado pelo público e pela mídia. Nesta temporada temos como ascendentes à Série B o cearense Icasa, de Juazeiro do Norte, o paulista Guaratinguetá, o América de Minas Gerais e o alagoano ASA de Arapiraca. Aliás estes dois últimos são os finalistas do campeonato e começam a lutar pelo título em partidas de ida e volta a partir do dia 13 de setembro próximo.

Porém o que é normalmente pouco valorizado possui particularidades interessantes. A "Terceirona" proporciona ao espectador a mais simples forma de se montar um clube de futebol - quase que totalmente na base do amadorismo -, os graves problemas de estrutura dos clubes pouco expressivos e de seus respectivos estádios. Mas pode-se ter alguns pontos positivos como revelações tanto dentro de campo quanto no banco de reservas esquecidos em algum rincão deste Brasil a fora, entre tantos outros. Não à toa equipes tradicionais do futebol brasileiro já perambularam por lá e de alguma forma deram uma maior exposição do campeonato para o país, tais como Fluminense/RJ, Guarani/SP, Bahia, Vitória/BA e Náutico/PE.

A "Terceirona" foi disputada pela primeira vez em 1981 para que clubes quase sem nenhuma expressão no cenário futebolístico brasileiro pudessem ter uma oportunidade de disputarem uma competição em nível nacional e para que não se tornassem sazonais como a maioria das equipes. O Olaria, naquele ano, entraria para a história do torneio como seu primeiro campeão ao bater os pernambucanos do Santo Amaro. Os primeiros artilheiros foram Müller (não confundir com o ex-campeão mundial com a Seleção Brasileira), do São Borja/RS, e Fabinho, do Santo Amaro, cada um com 5 gols marcados. Não houve rebaixamento neste ano.

Ao longo do tempo a Série C teve inúmeras mudanças de regulamento, inchaço no número de participantes e até mesmo times tradicionais saltando da terceira para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro através de canetadas da CBF (na minha opinião uma verdadeira vergonha para uma equipe da tradição do Fluminense, que fora reicindente em 1999 nesse tipo de artifício). Uma publicação que fala sobre o ocorrido pode ser lida aqui. Mas voltemos à Terceira Divisão.

Entre os anos de 1982 e 1987 não houve edição do campeonato, assim como em 1989, 1991 e 1993. Em 1988 foi instituído o descenso das piores equipes, que "agraciou" à época Treze/PB, Rio Branco/ES, Uberlândia/MG e Pelotas/RS; além do que na ocasião de haver empates durante o tempo normal, os confrontos eram decididos em cobranças de penalidade - mais uma das aberrações paridas pela nossa CBF em tantos anos de futebol. Havia o rebaixamento, mas o acesso à Série B só veio ser regulamentado a partir de 1994 e premiou os paulistas Novorizontino/SP e Ferroviária/SP. Tivemos ainda em 1995 um verdadeiro absurdo no quesito número de inscritos - 107 no total - incluindo equipes com quase nenhuma tradição sequer em seus próprios estados, como Maruinense/SE, Caçadorense/SC, Andirá/AC, Juventude/MA, Batalhense/AL, Barra/RJ, e muitos outros. Em 2000, com o advento da Copa João Havelange, a Série C propriamente dita não aconteceu, mas considerou-se como sendo os Módulos Verde e Branco, cujo vencedor foi o Malutrom/PR (atual Corinthians/PR).

O Atlético/GO é o único time a conquistar a competição 2 vezes (1990 e 2008) e o maior artilheiro é o veterano Túlio Maravilha, que em 2007 deixou sua marca 27 vezes atuando por outro goiano - o Vila Nova. O estado de São Paulo, como era de se esperar, é o maior vencedor da competição com 7 títulos. Já o Confiança/SE é a equipe com maior número de participações - 15 no total.

Em 2009 a CBF tentou "moralizar" a competição e deixá-la aos moldes das Séries B e A, com apenas 20 clubes participantes (do 5º ao 20º colocado da Série C mais os 4 rebaixados da Segundona ambos de 2008) e com os 4 primeiros ascendendo à "Segundona" e os 4 piores caindo para a recém criada Série D (essa sim um espetáculo de desorganização e de regulamento bisonho que vamos comentar em breve aqui). A princípio em jogos de ida e volta todos contra todos, mas por "falta de verba" (que eu duvido muito em se tratando da riquíssima CBF), que eu trato como "falta de vontade", dividiu-se em 4 grupos de 5 equipes cada, classificando-se os 2 melhores colocados para se iniciar o "mata-mata". Porém essa fórmula acaba por deixar os clubes, notadamente os que não conseguiram êxito na fase de grupos, muito tempo inativos, visto que a partir do final de setembro a grande maioria das agremiações que disputaram o campeonato só irão retomar suas atividades em janeiro de 2010.

Enfim, fórmulas esdrúxulas, falta de apoio e estrutura à parte, a Série C pode até não ter a importância, o charme e a qualidade das divisões superiores, mas que não deixa de ter suas peculiaridades e seus atrativos. Parabéns ao Icasa, ao Guaratinguetá, ao América/MG e ao ASA/AL pelo sucesso em 2009 e pela conquista do acesso à elite do futebol brasileiro! E que venha o campeão!

Abaixo, dados e estatísticas da história da "Terceirona".


* 1981 (24 participantes)

- Campeão: Olaria/RJ
- Vice: Santo Amaro/PE

* 1982 a 1987 (Não houve competição)

* 1988 (43 participantes)

- Campeão: União São João/SP
- Vice: Esportivo/MG

* 1989 (Não houve competição)

* 1990 (30 participantes)

- Campeão: Atlético/GO
- Vice: América/MG

* 1991 (Não houve competição)

* 1992 (31 participantes)

- Campeão: Tuna Luso/PA
- Vice: Fluminense/BA

* 1993 (Não houve competição)

* 1994 (41 participantes)

- Campeão: Novorizontino/SP
- Vice: Ferroviária/SP

* 1995 (107 participantes)

- Campeão: XV de Piracicaba/SP
- Vice: Volta Redonda/RJ

* 1996 (58 participantes)

- Campeão: Vila Nova/GO
- Vice: Botafogo/SP

* 1997 (64 participantes)

- Campeão: Sampaio Corrêa/MA
- Vice: Juventus/SP

* 1998 (66 participantes)

- Campeão: Avaí/SC
- Vice: São Caetano/SP

* 1999 (36 participantes)

- Campeão: Fluminense/RJ
- Vice: São Raimundo/AM

* 2000 (53 participantes)

- Campeão: Malutrom/PR
- Vice: Uberlândia/MG

* 2001 (65 participantes)

- Campeão: Paulista/SP
- Vice: Mogi Mirim/SP

* 2002 (61 participantes)

- Campeão: Brasiliense/DF
- Vice: Marília/SP

* 2003 (93 participantes)

- Campeão: Ituano/SP
- Vice: Santo André/SP

* 2004 (60 participantes)

- Campeão: União Barbarense/SP
- Vice: Gama/DF

* 2005 (63 participantes)

- Campeão: Remo/PA
- Vice: América/RN

* 2006 (63 participantes)

- Campeão: Criciúma/SC
- Vice: Vitória/BA

* 2007 (64 participantes)

- Campeão: Bragantino/SP
- Vice: Bahia/BA

* 2008 (63 participantes)

- Campeão: Atlético/GO
- Vice: Guarani/SP

* 2009 (20 participantes)

- Campeão: a definir entre ASA/AL e América/MG
- Vice: a definir entre ASA/AL e América/MG

* Maior artilheiro: Túlio (Vila Nova/GO em 2007) - 27 gols

* Maior vencedor: Atlético/GO (2 vezes - 1990 e 2008)

* Maior participação: Confiança/SE (15 vezes)



Imagem: Wordpress
Foto 1: Blog Archibal FC
Foto 2: ClicRBS

2 comentários:

Row51 disse...

maravilhoso post.

http://row51.blogspot.com

Alexandre Perin disse...

Que post sensacional. Parabéns, CH